TRISTEZA OU DEPRESSÃO?

TRISTEZA OU DEPRESSÃO?

Qualquer pessoa pode ficar triste, ter um momento de mau humor em função de uma decepção amorosa ou profissional, da perda de alguém querido etc. Porém, a depressão é diferente, não é tristeza nem fraqueza de caráter. Frequentemente a doença é confundida com “episódios de tristeza”, considerado absolutamente normais e passageiros, porém o mal pode ser “disfarçado” pela ocupação com o trabalho e família, dificultando o diagnóstico.

Ao passar por momentos difíceis, é comum confundir a tristeza passageira com a depressão, uma doença grave que pode ser causada por diversos fatores.

A depressão só é diagnosticada se o sentimento de tristeza durar por muito tempo. Esse estado é um sinal de perturbação no estado de harmonia e equilíbrio do organismo, que pode se cristalizar como uma doença ou permanecer em graus mais leves, levando à uma perda significativa na qualidade de vida.

A depressão é uma doença que influencia as atitudes das pessoas perante as suas vidas e as dos que estão ao seu redor. A depressão altera os sentimentos e reduz a sensação de bem estar; muda a forma de pensar, as escolhas, o comportamento e as crenças das pessoas.

A depressão necessita de tratamento através de psicoterapia aliada à cuidados médicos. Quando não tratada pode durar meses e, em alguns casos, anos. È imprescindível a identificação de mudanças de comportamento e/ou humor dos pacientes.

Existem vários sinais e sintomas que estão presentes na depressão. Alguns deles podem ser:

  • Tristeza ou irritação durante maior parte do dia, quase todos os dias;
  • Perda de interesse ou do prazer por atividades que antes eram agradáveis;
  • Mudanças súbitas no apetite ou no peso, sem explicação;
  • Insônia ou necessidade de sono aumentada;
  • Agitação ou prostração (observado pelos outros);
  • Sensação constante de cansaço ou perda de energia;
  • Sentimentos frequentes de inferioridade ou culpa;
  • Dificuldade de concentração e em tomar decisões;
  • Pensamentos frequentes sobre morte ou suicídio.

Uma pessoa não precisa estar com todos esses sintomas para ter depressão. Os sintomas irão variar de pessoa para pessoas. As mulheres costumam apresentar mais sintomas de culpa, ganho de peso, ansiedade, problemas alimentares e necessidade de sono aumentado do que eles.
Esperiências de vida como um divórcio, morte da esposa ou do marido, perda de um emprego ou problemas financeiros graves podem causar ou favorecer o surgimento da depressão. Porém, mesmo que a causa da depressão não seja identificada, na maioria dos casos há a possibilidade de melhora através do tratamento adequado. Devemos ficar atentos aos seguintes casos:
*Abuso de álcool ou outras drogas;
*Algumas medicações e outras doenças;
*História familiar de depressão;
*Em idosos, doenças como o câncer, Alzheimer e Parkinson.
Como nem sempre existe uma causa definida, a depressão aparece, se instala e quando não tratada pode persistir por tempo indeterminado.
A depressão apresenta-se como um distúrbio de alteração de humor e/ou comportamento que persiste por, no mínimo duas semanas. Sentimentos como tristeza, vazio, desesperança, desamparo, perda de interesses, alterações no apetite e no peso, distúrbios do sono, falta de energia, falta de interesse sexual, entre outros sintomas estão associados à doença.
Ausência de reforços positivos, como: família estruturada, amigos e um trabalho satisfatório são fatores que inclinam o sujeito a apresentar uma tendência maior à depressão e quando se encontra em fase depressiva, as pessoas ao seu redor tendem a se afastar, pois deixa de ser uma pessoa agradável.
Os tratamentos para a depressão incluem principalmente a psicoterapia e os medicamentos. Mais de 80% das pessoas com depressão melhoram com o tratamento apropriado.
A psicoterapia é popularmente chamada de terapia “para conversar”. Na depressão, a psicoterapia ajuda o indivíduo a encontrar novas formas de lidar com seus problemas, identificar e entender um pouco mais sobre a doença e como evitá-la no futuro. A compreensão dos aspectos da depressão, é a base para várias abordagens possíveis para o tratamento, quais sejam as diferentes modalidades de psicoterapia.
Em alguns casos, é necessário o uso de medicamentos antidepressivos. Os antidepressivos mais modernos geralmente são eficazes, bem tolerados, seguros e não causam vício ou dependência, mesmo se utlizados por muito tempo e em doses elevadas. São necessárias algumas semanas para que o efeito dos medicamentos aconteça. É muito importante que o paciente e seus familiares compreendam que a depressão é uma doença médica real e que necessita de tratamento específico.

TRISTEZA OU DEPRESSÃO?

Qualquer pessoa pode ficar triste, ter um momento de mau humor em função de uma decepção amorosa ou profissional, da …

O CASAMENTO & A CHEGADA DOS BEBÊS!

Todas nós sabemos que a vida conjugal muda após a chegada dos filhos, aliás, muda tudo! Por mais que os filhos tenham …

DEPRESSÃO PÓS-PARTO

A gravidez foi desejada, o parto correu dentro da normalidade, o quartinho do bebê é um encanto, a família está em estado …